Agende uma reunião, sem compromisso, para discutir o seu projeto e as melhores soluções para ele.

Entrar em contato

Formação de preços, margens e análise tributária no varejo farmacêutico

É importante trabalhar sempre com um preço justo e competitivo, pois a concorrência entre as farmácias é sempre muito grande. Para se chegar ao preço ideal, é necessário realizar cálculos, uma vez que que o preço final de venda deve cobrir o custo direto da mercadoria, ser somadas a todas as despesas e, é claro, gerar lucro.

Existem dois modos de encontrar o preço ideal de venda de um produto, uma é acrescentar ao preço dele seus custos e despesas, o outro, é definir o preço de venda com base no que é cobrado pelo mercado, sendo que os dois devem ser levados em consideração, isso porque não adianta fazer o cálculo pelos custos e despesas e, no final, o preço não ficar atrativo aos consumidores, e por outro lado, não é sensato cobrar um valor que não cobre seus custos.

Confira aqui alguns conceitos e passos para precificar produtos adquiridos prontos de fornecedores.

1. Cálculo de despesas
Os custos fixos e variáveis são imprescindíveis para compor o valor da mercadoria.
• Despesas fixas (DF) – independem das vendas e devem ser pagas mensalmente, como aluguel, luz, telefone, internet, salários de funcionários, etc. Para calcular, é preciso somar todas as despesas fixas e verificar o percentual que representa na venda de cada produto;
• Despesas variáveis (DV) – mudam todos os meses, dependendo das vendas: taxas de cartões de crédito e débito, gastos com embalagens, entre outras. Para definir este valor, somam-se todos os percentuais que incidem na venda de cada produto. Como proporcionais ao faturamento, o ideal é definir o percentual que as DV representam em relação às vendas. Exemplo: taxas de cartões – 4%; embalagens – 3%.

2. Custo do Produto
O custo do produto (CP) é o preço de compra do produto, sem considerar qualquer tributo, despesas ou desconto. É a partir dele que os demais preços são estabelecidos.

3. Opção tributária
Toda empresa está inserida em um sistema tributário: Simples, Lucro Real ou Lucro Presumido. Esses sistemas são determinantes para definir o preço. Quando a empresa se enquadra no Simples, não tem direito a nenhum tipo de crédito tributário. No lucro presumido, pode-se retirar o valor do ICMS – 18% – e, no lucro real, pode-se descontar o valor do crédito tributário do ICMS (18%), COFINS (7,6%) e o PIS (1,65%).

4. Preço de tabela
Trata-se do valor bruto do produto (CP) que será repassado ao cliente, acrescido dos custos do sistema tributário no qual a empresa está inserida, das comissões dos funcionários e o desconto que se pretende dar, quando solicitado.

5. Lucro e margem de lucro
Lucro é o que sobra das vendas, menos o custo das mercadorias vendidas, menos as despesas variáveis e fixas. A margem de lucro (ML) é o número que define o que se espera de lucro sobre o preço unitário do produto e é calculada por produto. Pode-se calcular uma ML específica para cada uma das mercadorias.

6. Markup
Markup é o valor desejado de margem de lucro adicionado ao preço de custo do produto. Essa técnica torna o cálculo do preço de venda extremamente simples e garante segurança nas negociações, estabelecendo limites para possíveis descontos.
O índice é formado pelas despesas fixas (DF), despesas variáveis (DV) e pela margem de lucro (ML). Para determiná-lo a fórmula usada é: Markup = 100 / [100-(DF+DV+ML)].
Para determinar o preço de venda, multiplica-se o Markup pelo custo do produto: Preço de Venda = Markup x CP.
É importante não confundir o lucro esperado sobre o custo com a margem de lucro esperada sobre o preço de venda. Como o valor do lucro está embutido no valor do preço final de vendas, a margem percentual nunca poderá ser maior do que 100%.

7. Mercado e concorrência
Com o preço em mãos, deve-se fazer uma avaliação diante da concorrência. Isso porque de nada adianta colocar um preço em determinado produto se o valor cobrado pela concorrência pelo mesmo item for menor.
Diante disso, é preciso estimar margens de lucros menores ou, ainda, manter o preço e garantir as vendas usando outros recursos, como entrega em domicílio, atendimento personalizado e campanhas de fidelização, entre outros.

Por fim, lembre-se de que o importante é oferecer qualidade com preço justo, mas sem perder o lucro.

Fonte: Roge

Voltar para blog

Agende uma reunião, sem compromisso, para discutir o seu projeto e as melhores soluções para ele.

Entrar em contato